O EXCESSO DE ESTRELISMO DE MAURO CEZAR

03/05/2013 20:00

 

O Amazonas e os amazonenses voltaram a ser vítimas do achincalhe de sulistas preconceituosos e despreparados para o ser crítico ou para uma postura crítica de análise. Ao confirmar que é contra a realização dos jogos da Copa de 2014 em Manaus, o comentarista esportivo da ESPN Brasil, Mauro Cezar Pereira, afirmou que a Copa em Belém faria mais sentido, e cogitou sobre a possibilidade dos estádios de Cuiabá e Manaus transformarem-se em “elefantes brancos”, de ficarem sem uso. Por ter citado acintosamente Manaus e ofendido os amazonenses, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, mostrando apreensão crítica da realidade, não se conteve diante de um brasileiro no programa Roda Viva da Cultura torcedor declarado do Racing, da Argentina.
Foi o suficiente para Mauro Cezar alterar o humor, ao mesmo tempo confirmava que é torcedor fanático do time argentino de Avellaneda. Mauro é conhecido por ter se envolvido em diversas polêmicas ao vivo com colegas de profissão, por causa do seu estilo agressivo de fazer jornalismo, para o qual chega a ser confundido com temperamento forte. Entende-se que temperamento forte pode significar uma pessoa que sabe o que quer, mas também significa uma pessoa muito difícil de lidar, daquelas do tipo insuportável, quer o que quer, não arreda pé e passa por cima de quem for para fazer prevalecer seus argumentos. Podem ser consideradas anormais.
No calor da discussão, o ministro mostrou bastante conhecimento sobre a história do futebol amazonense, o que deixou Mauro descontrolado, chegando a afirmar que o futebol amazonense beira o amadorismo e não teria clubes de expressão para administrar a arena, podendo tornar-se um "elefante branco". Rebelo lembrou que a construção do Maracanã para a Copa de 1950 também foi bastante contestada por conta de sua magnitude, numa época em que a população brasileira era muito menor do que na atualidade. Para o ministro, a realização dos jogos da Copa em Manaus poderá atrair atenção para o Amazonas, despertar curiosidade e o interesse de muitas pessoas que “querem conhecer essa metrópole no meio da floresta”.
Cabe destacar que Aldo Rebelo mostrou que conhece muito sobre os grandes clubes de Manaus, tanto que ele criticou duramente Mauro Cezar por não saber quem são Rio Negro e Nacional, São Raimundo e Fast Clube. Mas também soube reconhecer que os times de Manaus não levam quase ninguém ao estádio, e que, lamentavelmente, maioria dos torcedores amazonense prefere torcer para times de São Paulo e Rio de Janeiro. Mesmo diante do atrevimento do comentarista, Aldo defendeu a construção da Arena de Manaus, e cobrou do comentarista o dever de conhecer melhor a história do futebol do Amazonas.
O saudoso jornalista Daniel Piza dizia que o verdadeiro crítico não deve fazer ataques pessoais e sucumbir ao vedetismo. Ser crítico não significa apontar defeitos, se posicionar contra ou descer a lenha no outro. Não é desse jeito e é bom que fique claro que a crítica digna deste nome se expressa por argumentos consistentes, fundamentados, e não em ataques pessoais, por inveja, ódio ou estrelismo. Mauro Cezar Pereira provou que não conhece sobre o futebol dos Estados que irão sediar os jogos da Copa, daí a falta de argumentos verdadeiros para o debate. O ministro Aldo Rebelo provou que conhece e fê-lo passar vergonha num programa de rede nacional.
Eu sou amazonense, e como bom caboco, sou torcedor do Atlético Rio Negro Clube, o nosso famoso time “Barriga Preta”, fundado no dia 13 de novembro de 1913 – quase centenário. Se o Mauro Cezar trocar o Brasil pela Argentina não nos fará nenhuma falta.

POR: GARCIA NETO


 

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!